Aum .:. O som de todos os sons


Aum. De acordo com Sri Vinoba Bhave, a palavra latina “Omne” e a palavra sânscrita “Aum” derivam ambas da mesma raíz, significando “tudo”, e ambos os termos transmitem conceitos de omnisciência, onipresença e onipotência. Outra acepção para Aum é pranava, derivada da raíz “nu” que significa louvar, ao que se acrescenta o prefixo “pra” denotando superioridade. A palavra significa “o melhor louvor” ou “a melhor oração”. O símbolo AUM é composto por três sílabas: A, U, M e quando escrito tem um crescente e um ponto em cima. A ele são dadas várias interpretações, e algumas podem ser mencionadas aqui para esclarecer o seu significado. A letra A simboliza o estado consciente ou de vigília (jagrata-avastha); a letra U, o estado de sonho (svapna-avastha); a letra M, o estado de sono, sem sonhos (sushupta-avastha). O símbolo inteiro, com o crescente e o ponto, representa o quarto estado (turiya-avastha), que combina todos os outros e os transcende. Trata-se do estado de samadhi.

As letras A, U e M simbolizam respectivamente a fala (vak), a mente (manas) e o sopro da vida (prana), ao passo que o símbolo inteiro representa o espiríto encarnado, que nada mais é que uma fracção do espírito divino. As três letras também representam as dimensões de comprimento, largura e de profundidade, ao passo que o símbolo inteiro representa a Divindade que está além das limitações de forma e dimensão. As três letras A,U e M simbolizam a ausência do desejo, de medo e de cólera, ao passo que o símbolo inteiro é o homem perfeito (sthta-prajna), cuja sabedoria está firmemente estabelecida no divino. Elas representam os três géneros: masculino, feminino e neutro, ao passo que o símbolo inteiro representa toda a criação, junto com o criador. Representam ainda os três gunas ou qualidades de sattva, rajas e tamas, ao passo que o símbolo inteiro representa um gunagunatita, aquele que transcendeu e foi além da atracção dos gunas. As letras correspondem aos três tempos - passado, presente e futuro, ao passo que o símbolo inteiro representa o Criador, que transcende as limitações do tempo. Elas também representam o ensinamento transmitido pela mãe, pelo pai e pelo guru, respectivamente. O símbolo inteiro representa Brahma Vidya, o conhecimento do Eu, cujo ensinamento é imperecível. O A, o U e o M representam três estágios da disciplina iogue: asana, pranayama e pratyahara. O símbolo inteiro representa o Samadhi objectivo que se atinge através dos três estágios. Eles representam a trindade da divindade: Brahma, o Criador; Vishnu, o Conservador; e Shiva, o Destruidor do Universo. O símbolo inteiro representa Brahman, de quem emana o universo, onde tem seu crescimento e fruição e no qual se funde, ao final. Não cresce, nem muda. Muita coisa muda e passa, mas Brahman é a unidade que para sempre permanece inalterável. As letras A, U e M também representam um mantra: “Tat Twam Asi” (“Aquilo Tu És”), a percepção da divindade humana dentro de nós mesmos. O símbolo inteiro é essa percepção, que libera o espírito humano dos limites do corpo, mente, intelecto e ego. Após perceber a importância do Aum, o iogue focaliza a atenção em sua divindade bem-amada, acrescentando Aum ao nome do Senhor. A palavra Aum, sendo demasiado vasta e abstracta, unifica seus sentidos, vontade, intelecto, mente e razão, focalizando no nome do Senhor e acrescentando a palavra Aum com devoção concentrada num só ponto e assim vivencia a sensação e significado do mantra. O iogue relembra o Mundakopanishad: " Tomando a grande arma do Upanishad como se fosse um arco, deve-se colocar uma seta afiada pela meditação. Distendendo-o com um pensamento dirigido à essência d´Aquilo, penetra o Imperecível como um alvo, meu amigo. A sílaba mística Aum é o arco. A seta é o Eu (Atmã). Brahman é o alvo. É pelo homem sem distracção que Ele é penetrado. Deve-se estar nele como a seta no alvo". B.K.S Iyengar, excerto de “A luz da Ioga”

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo